Rua Nossa Senhora de Nazaré, 65 - São Paulo-SP        Atendimento: Das 8h às 17h 11 5667-9758 11 5665-8530 11 99544-3666

Fique em alerta com as mentiras mais comuns nas entrevistas de emprego

Gostou? compartilhe!

imagem julho 10, 2018

Fique em alerta com as mentiras mais comuns nas entrevistas de emprego

Para que a sua empresa não caia nessas mentiras e seja prejudicada, deixe o seu departamento pessoal atento

Ultimamente uma das coisas mais escassas que existe no Brasil é emprego, fruto da crise financeira em que o nosso país está acometido, com isso uma vaga de emprego vale ouro e os departamentos pessoais das empresas precisam prestar muita atenção para não cair em mentiras que vão prejudicar totalmente a empresa como um todo.

Se o departamento pessoal aprova a admissão de um funcionário baseado em suas mentiras, pode colocar um departamento e consequentemente uma empresa toda em perigo, já que na prática a situação será sempre diferente.

Vide a competitividade, o departamento pessoal precisa ficar atento com as estratégias ilícitas, como a mentira, para que não venha contratar um funcionário ao avesso de tudo o que ele “vendeu” na entrevista de emprego.

O primeiro e, talvez, principal problema da mentira é que ela é um problema de caráter. Uma pessoa que utiliza da inverdade como subterfúgio para conseguir algo desejado, como uma vaga de emprego, já demonstra não ter transparência tampouco confiabilidade, o que numa equipe de serviço é extremamente delicado.

Confira esse artigo e saiba como o seu departamento pessoal pode se vacinar quanto a esses candidatos metidos a espertos em uma entrevista de emprego.

As mentiras mais contadas

Há um hall de mentiras clássicas que o departamento pessoal precisa ficar atentos vão no campo do desempenho e da experiência.

O primeiro grande problema está no local onde reside, estando até antes da entrevista, mas embutida no currículo analisado pelo entrevistador antes da chamada. Com a falta de emprego na sua cidade é muito comum que pessoas procurem em outras cidades e digam que moram no local onde procura emprego, já que algumas empresas não aceitam funcionários em outras cidades por questões econômicas.

Outra desculpa bastante usada é quanto ao modo de desligamento no último emprego. Há uma linha tênue entre pedir demissão e ser demitido, e convenhamos que em tempos de crise pedir demissão tem sido cada vez mais raro. Em tempos de crise a demissão tem sido comum e o motivo quase que unânime tem sido o de corte de gastos. O candidato que alega que tenha pedido demissão corre o risco de perder a vaga num eventual contato do departamento pessoal com a sua antiga empresa, e numa mentira uma indicação de seu antigo chefe ou gestor pode se transformar no descobrimento de uma mentira e uma eliminação.

A experiência na área também pode ser contestada em entrevista, sempre esteja atento na periodicidade em que o candidato permaneceu em seus últimos empregos, alguns usam do subsídio de ter virado ano no seu trabalho para dar uma ilusão de ter trabalhado mais tempo, mas existem alguns casos onde eles dizem que ficaram de um a outro ano, mas foi contratado em novembro, ou dezembro, e demitido em janeiro ou fevereiro, não permanecendo nem o período de experiência. Para isso, procure sempre ter recomendações das empresas que ele trabalhou anteriormente.

Além disso, algumas mentiras são ditas quanto ao desempenho e habilidades, discursos como o do bom desempenho de trabalho em grupo, pontualidade só podem ser desmistificadas no dia a dia de trabalho, mas o departamento pessoal pode notar na forma em que o candidato se expressa, se ele se contradiz em algum momento ou até mesmo na tensão da sua postura pessoal.

Outro lado da moeda

Da mesma forma que a mentira do candidato é uma situação desconfortável para o departamento pessoal o mesmo não deve utilizar dos tradicionais clichés mentirosos para o candidato. Se você sabe que o candidato não passou nos requisitos não minta dizendo que entrará em contato posteriormente, o deixando na expectativa de ser escolhido, assim como a expressão “banco de oportunidades”. E se a situação for de contrato efetivo não minta quanto a valores, benefícios, escalas e tempo de trabalho. Se a mentira do candidato é um desvio de caráter por parte do mesmo com a empresa que precisa pensar que a mentira dela para o funcionário em potencial é um desvio do empreendimento com o seu parceiro.



Gostou? compartilhe!

Whatsapp Illumicont Whatsapp Illumicont